sábado, 6 de maio de 2017

03 - ESTA LIRA DE MIM!... * Não me abandones, Mãe!


(Neste Dia da Mãe, 7 de Maio de 2017, o meu poema possível…)




ESTA LIRA DE MIM!...

Não me abandones, Mãe!





Chamo por ti, na noite abandonada.

Solícita, tu vens: querido filho!

O tempo pára. Trémulo, partilho

o som que chega dos confins do nada.



Cego de lágrimas, soluço e rio,

e neste transe de alma me consolo.

Num êxtase esquecido balbucio:

Não me abandones, Mãe, eu quero colo!



Um halo de ternura me agasalha

e um sono antigo desce sobre mim.

Suspensa, tremeluz uma poalha

de estrelas e perfumes de jasmim.



Que abandonado sono de verdade,

p’ra sempre, assim nos queira eternidade!




José-Augusto de Carvalho
Alentejo, 5 de Maio de 2017.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Procuro ser uma pessoa honesta. Não será bem-vindo a este espaço quem divergir desta minha postura.