sexta-feira, 18 de setembro de 2015

02 - TEMPO DE SORTILÉGIO * Os sinais





Das cinzas do tempo evadem-se os sinais...


Será Nero declamando os seus poemas medíocres

às chamas que devastam Apolo e Roma?


Será Petrónio burilando a elegância do verbo,

enquanto acaricia as veias que irá cortar?


Serão as sombras ignaras do pão e circo

expulsas pelo remorso dos tempos

do sossego do nada onde apodreceram?


Ou serei eu, aqui, a reinventar o pesadelo

do martírio intemporal dos impérios?






José-Augusto de Carvalho
4 de Agosto de 2008.
Viana do Alentejo * Évora * Portugal

Sem comentários:

Enviar um comentário

Procuro ser uma pessoa honesta. Não será bem-vindo a este espaço quem divergir desta minha postura.