terça-feira, 24 de novembro de 2015

30 - ...E CONTIGO EU MORRI NESSE DIA * Amar







Amar só é amar se desvairado,
em luta contra o tempo que se esvai!
É ser raio que risca o céu e cai
num rasto deslumbrante e deslumbrado.


Amar desde o princípio até ao fim.
Ser a raiz, a planta, a flor, o fruto!
E se tu me morresses, que o meu luto
bem mais do que por ti, fosse por mim…


Saber que o Tudo e o Nada do Infinito
seremos nós --- sem antes nem depois.
Que sonho, meu amor, a vida assim!


Não morras nunca num morrer de mito!
Não queiras o meu luto só por mim
por recusares seja por nós dois!




José-Augusto de Carvalho
Lisboa, 1969.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Procuro ser uma pessoa honesta. Não será bem-vindo a este espaço quem divergir desta minha postura.